Reflexões: Verdades Mitos e Desafios

Para resolver os dolorosos e limitantes problemas da artrose do quadril, foram investidos expressivos recursos financeiros, científicos e tecnológicos no refinamento das técnicas e no aprimoramento dos implantes necessários para a cirurgia da Prótese Total do Quadril. Certamente, é a mais significativa inovação na cirurgia do quadril até este momento.

A partir de 1980 acompanhei essa evolução. A experiência acumulada com casos próprios, com as incontáveis reuniões técnicas sobre esse assunto e com o conhecimento adquirido em importantes centros de excelência dos EEUU e Europa, foi definitiva para a consistência da minha formação.

Tenho segurança que contribui no cenário nacional, desafiando e estimulando a indústria, à fabricar com garantia de qualidade e assimilar a cultura de submeter os seus produtos, aos testes de Normas Internacionais sugeridos pelo FDA, além dos ensaios oficialmente exigidos pela Anvisa. Quando essas proposições foram aceitas, praticadas e próteses com Garantia de Qualidade foram disponibilizada à população, tive o agradável sentimento de ter ajudado a democratizar a qualidade.

Cada vez mais, pacientes idosos recorrem a Prótese Total de Quadril para melhorar sua qualidade de vida, pela mesma razão, indivíduos cada vez mais jovens e ativos procuram essa alternativa.

Tenho como verdade absoluta que a Prótese de Quadril é um procedimento cirúrgico de risco baixo e quase mágico, pois elimina a dor, recupera os movimentos e a autonomia e garante significativa melhora da qualidade de vida.

Dizer que existem próteses que dispensam cuidados por terem duração ilimitada é um mito, muito mais à serviço do convencimento , do que do isento e sincero esclarecimento do paciente. . .

O grande desafio é minimizar os poucos riscos e prevenir as poucas possibilidades de falhas, através do cuidadoso planejamento prévio das cirurgias, da utilização de implantes com garantia de qualidade, da comprovada experiência da equipe médica, da atualização constante no manejo das técnicas e da incansável vigilância dos pacientes.

Cirurgião experiente deve dominar técnicas seguras e ordenar de forma didática os esclarecimentos com relação ao evento cirúrgico, em seus momentos pré, trans e pós-operatório, assim como aqueles relacionados à reabilitação precoce e posturas de longo prazo. .

Quando as próteses falham, necessitam revisões e trocas de componentes. São cirurgias mais difíceis, mas definitivamente necessárias para evitar agravamento do afrouxamento dos implantes e o aumento das perdas ósseas. As revisões não devem ser muito postergadas.

O paciente é soberano para decidir a hora da primeira cirurgia e o cirurgião para decidir a hora da revisão.

Nas cirurgias com troca dos componentes, os riscos de complicações são maiores, por isso exigem cirurgiões reconhecidamente experientes com equipes bem treinadas. Essas cirurgias têm características especiais, são de difícil planejamento e cuidadosa execução. Não é cirurgia para principiantes, pois o aprendizado e a excelência decorrem da frequência com que esses problemas são enfrentados e dos resultados obtidos com as soluções propostas.

Para os pacientes, todas cirurgias são sempre experiências novas, que geram muita ansiedade e muita expectativa que não pode ser frustrada, por isso é definitivo que a comunicação médico-paciente seja fácil e afinada desde os primeiros contatos, com respeito, afeto e muita segurança. “Sem confiança e empatia não deve haver cirurgia”