Anatomia

O quadril é a maior junta de ajuste esférico do corpo humano. A cabeça do fêmur, extremidade do osso longo da coxa, se encaixa na cavidade acetabular do osso pélvico. É, portanto, uma articulação de grande porte, adaptada para suportar o peso do corpo, distribuir os esforços e permitir os movimentos de flexão, extensão e rotações dos membros inferiores.

As juntas são cobertas por cartilagens articulares hialinas, tecido branco com 2mm de espessura, brilhante, polido e muito resistente que permite o deslizamento dos ossos ajustados, sem atrito e sem dor.

A cabeça femoral recebe suprimento de sangue, principalmente pelas artérias circunflexas em torno da base do colo femoral. Lesões dessas artérias por traumas ou obstruções por doenças podem comprometer o fluxo sanguíneo na região e determinar áreas de necrose avascular.

A articulação é envolvida pela cápsula articular 2, uma estrutura fibrosa firme e reforçada, revestida internamente pela sinovial, o tecido que produz o líquido que lubrifica e contribui para o baixo desgaste das estruturas articulares.

A parte superior e lateral do fêmur é chamada região trocantérica 3. Aqui são frequentes as fraturas do idoso. Sua forma lateral protuberante é envolvida pela  bursa trocantérica 4, que é uma bolsa de cavidade virtual que facilita o  deslizamento das estruturas regionais.

A estabilidade da articulação é conferida pelo perfil das extremidades ósseas, pela resistência da cápsula, dos , ligamentos e pela ação dos músculos 5 envolvidos com os movimentos funcionais da articulação.

A articulação tem um intrincado desenho no qual a cartilagem e o osso subcondral que à sustenta funcionam juntos para absorver grandes esforços e pressões. O quadril suporta o equivalente a três vezes a carga  exercida pelo peso do corpo durante a marcha normal e sete vezes durante atividades mais exigentes, como subir escadas e lombas, corridas e outros esportes.