23/10/2018

|

#próteses

Conheça os diferentes tipos de prótese e suas formas de fixação

Tipo de Próteses

PRÓTESE PARCIAL

É utilizada para substituir somente a cabeça do femur. É mais usada em casos de fraturas do colo femoral, desde que a cartilagem que reveste a cavidade acetabular esteja em boas condições para ser aproveitada como interface. As cabeças modulares podem ser monoblocos ou bipolares.

PRÓTESE TOTAL

É utilizada quando as cartilagens articulares estão irremediavelmente comprometidas. Tem indicação precisa nas artroses e outros processos degenerativos da articulação São constituídas por um componente para a cavidade acetabular e um componente para cabeça do fêmur. As Convencionais têm mais tempo de seguimento. É o sistema mais testado e mais comprovado. Podem ser construídas com diversos materiais, com centenas de modelos e podem ser fixadas ao osso através da cimentação ou da osteointegração.

PRÓTESES CIMENTADAS

São fixadas ao osso do paciente pelo cimento acrílico. O cimento penetra na porosidade óssea, proporcionando imediata fixação do implante. Têm indicação ampla, atualmente mais utilizadas em pacientes cujo osso tem pouca capacidade de crescimento e remodelação.

PRÓTESES NÃO CIMENTADAS

São ajustadas ao osso pelo cirurgião, e a fixação é feita, secundariamente, pelo próprio organismo através do crescimento ósseo para dentro da superfície porosa da prótese ou pela simples adesão do osso sobre a superfície dos materiais bioativos. Este fenômeno é chamado osteointegração. Próteses para uso sem cimento têm ampla indicação, mas devem ser implantadas em pacientes cujo osso tenha qualidade para suportar as pressões durante o ajuste e a estabilização primária da prótese e que tenha a capacidade de promover a secundária fixação do implante, através do crescimento e remodelação do tecido ósseo, tal como ocorre na cura das fraturas.

PRÓTESES HÍBRIDAS

São os conjuntos em que um dos componentes é fixado ao osso do paciente pelo cimento acrílico e o outro é fixado ao osso do paciente através do processo biológico natural do crescimento ósseo, no caso o componente acetabular.

PRÓTESE TOTAL DE REVESTIMENTO

“Resurface”. Também utilizada para tratar processos degenerativos do quadril, está fundamentada na menor remoção de osso do fêmur proximal. Esta alternativa foi utilizada e abandonada no passado. Sua melhor indicação seria para indivíduos com indicação de prótese total, do sexo masculino, saudáveis e ativos, portanto, com altas possibilidades de necessitarem de revisões futuras com troca de componentes.

COMPONENTE ACETABULAR COM MOBILIDADE DUPLA

São antigos conceitos com nova tecnologia. Os componentes acetabulares com mobilidade dupla (DMC) ganham interesse entre os médicos, no tratamento das instabilidades recidivantes das próteses do quadril, tem resultados encorajadores em termos de menor taxa de luxação associada a bons resultados clínicos, mas a falta de evidência existe sobre a real eficácia deste projeto de implante em comparação com artroplastias totais do quadril com suporte fixo tradicional.

PRÓTESES CURTAS

As próteses curtas foram projetadas para fornecer os benefícios da preservação óssea, principalmente do calcar femoral e osso esponjoso proximal, com esperada distribuição fisiológica das cargas.

Tipos de Fixação

CIMENTAÇÃO OU FIXAÇÃO BIOLÓGICA

Tanto a cimentação como a osteointegração são princípios amplamente utilizados para a fixação das próteses. Apresentam excelentes resultados quando indicados e manejados adequadamente. A opção do cirurgião deve ser fundamentada em parâmetros objetivos, bem determinados cientificamente e levando em consideração diversos fatores como idade, sexo, atividade, resistência e qualidade do osso de cada indivíduo.

A cimentação oferece bons resultados imediatos, mas os resultados de longo prazo dependem da excelência técnica da cimentação, que por sua vez depende do controle de inúmeros fatores, muitos fora do controle do cirurgião. A boa técnica de cimentação parece ser fácil, mas é mais difícil de ser reproduzida com excelência, principalmente para cirurgiões com pouca experiência.

Na osteointegração os bons resultados estão relacionados à indicação adequada e ao rigor técnico no preparo das cavidades e colocação do implante com adequado ajuste. Neste momento é definitivo para a qualidade do crescimento ósseo, que é fundamental para a fixação definitiva da prótese. É uma técnica de execução mais controlável, logo, com resultados de mais fácil reprodução.

A longo prazo os bons resultados dependem da experiência e da qualificação do cirurgião, da boa técnica cirúrgica, da qualidade dos implantes e dos cuidados do paciente em adequar a intensidade de suas atividades, para garantir vida longa a sua prótese.

Com essas preocupações em mente e valendo-se de sua larga experiência com vários modelos de próteses, mas principalmente com o conceito biomecânico das próteses quadrangulares e cuneiformes para uso sem cimento, o Dr. Carlos Macedo coordenou o desenvolvimento de um sistema de Prótese do Quadril não Cimentada, com Garantia de Qualidade validada por testes de normas internacionais ISO (International Organization for Standardization) e ASTM (American Society for Testing and Materials), sugeridos pelo FDA (Food and Drug Administration).

Cuide da sua saúde com quem é especialista